Elija el país o región del cuál quiere ver el contenido específico de acuerdo a su ubicación

Continuar

Uma manutenção impecável com a gama de aditivos e lubrificantes Motul

20.04.2021

A gama 8100 e Specific são compostas por lubrificantes 100% sintéticos para satisfazer as exigências das evoluções tecnológicas do mercado atual

A gama 8100 e Specific são compostas por lubrificantes 100% sintéticos para satisfazer as exigências das evoluções tecnológicas do mercado atual

Para garantir a limpeza e bom funcionamento do veículo, a Motul dispõe da Engine Clean, uma solução que dissolve e retira os depósitos acumulados no circuito de lubrificação, para além de 4 aditivos específicos: Fuel System Clean e Valve & Injector Clean para motores de gasolina e Diesel System Clean e DPF Clean

O óleo desempenha um papel crucial na vida útil de um motor, proporcionando uma limpeza e proteção contra o desgaste e a corrosão. Uma mudança de óleo, segundo as indicações do fabricante, é imprescindível para manter as condições do motor em perfeito estado. Para isso, é fundamental utilizar um lubrificante homologado e recomendado pelo fabricante para poder satisfazer todas as necessidades do motor em causa. Neste sentido, a Motul dispõe da mais ampla gama de lubrificantes específicos adaptados às exigências e normas de cada OEM.

Por um lado, a gama 8100 com lubrificantes 100% sintéticos, combina as homologações mais recentes de vários OEM num único lubrificante, cobrindo assim uma ampla seleção de veículos com uma quantidade mínima de referências.

Por outro lado, os fabricantes de automóveis desenvolvem motores cada vez mais complexos. Para satisfazer as exigências destas evoluções tecnológicas, a Motul concebeu a gama Specific, uma linha de lubrificantes 100% sintéticos criados especificamente para cumprir com uma só homologação exigida pelo fabricante.

Para além de uma mudança de óleo, para oferecer uma manutenção excelente, a Motul conta com uma gama de aditivos para ajudar à limpeza e bom funcionamento das diferentes zonas do veículo.

Engine Clean, limpeza em profundidade

Engine Clean, limpeza em profundidade

Engine Clean é um potente agente de limpeza que dissolve e retira, por meio de um complexo sistema de dissolução altamente eficaz, todos os depósitos que se formam e permanecem acumulados ao longo do circuito de lubrificação e que impedem o normal funcionamento de alguns mecanismos como os segmentos dos pistões, bomba de óleo, válvula de regulação de pressão, etc.

Enquanto procede à dissolução de resíduos mantendo-os em suspensão no fluxo, proporciona adicionalmente uma proteção anti-desgaste das partes metálicas, e regeneradora para as juntas e vedantes de material mais mole. Portanto, aproveita ao máximo as vantagens do óleo novo utilizado no motor depois da drenagem e restabelece as compressões de todos os cilindros do motor. Obtém-se uma limpeza perfeita introduzindo este aditivo de limpeza de motor no óleo a trocar e mantendo o automóvel em ralenti durante 15 minutos para que recolha todas as fuligens e partículas geradas durante o quilómetro realizado e as retire do sistema com o óleo usado, deixando-o em perfeitas condições para acrescentar o novo lubrificante e para que não seja contaminado

Engine Clean consegue ampliar a vida do motor proporcionando o trabalho sempre sobre um motor limpo e reduz o consumo de combustível e de óleo e as emissões emitidas. Além disso, proporciona um ajuste correto do ciclo do motor, compressão e potência. 

O uso a que estão sujeitos os veículos atualmente e sobretudo a disponibilidade de uma grande variedade de diferentes qualidades de combustíveis, e que nem sempre são os melhores, bem como a introdução da obrigatoriedade de misturar bioetanol, por exemplo, produz algumas anomalias de funcionamento no motor que se detetam através de sintomas como: um aumento incomum do consumo de combustível e o consequente aumento de emissões contaminantes, um ralenti irregular, a perda de compressão nos cilindros, uma retoma irregular ou com hesitações durante a mudança de velocidades.

Trata-se de sintomas que na maioria das vezes são camuflados por trás de um simples, mas aparatoso “o carro gasta muito” sendo as ECU a tratar de corrigir as diferenças de compressão entre cilindros, os processos de autoignição, os “solavancos” em momentos de aceleração ou as irregularidades no ralenti, através da adição de mais combustível para que o veículo tenha um funcionamento aparente normal. Todos estes sintomas têm uma causa comum: falta de limpeza nos injetores e rigidez do segmento superior na sede dos pistões.

Para limpar e manter em perfeitas condições todo o sistema, a Motul oferece 4 aditivos que garantam o bom funcionamento do sistema de combustão, injetores e DPF minimizando o seu desgaste: Fuel System Clean e Valve & Injector Clean para motores de gasolina e Diesel System Clean e DPF Clean para os a diesel.

A combinação de uma mudança de óleo, uma limpeza do motor e o uso destes aditivos para o sistema de combustão e DPF ajudará o veículo a melhorar e manter o seu desempenho inicial, eliminar possíveis problemas internos e solucionar todos estes problemas que não nos permitem passar na inspeção.

O seu é a gasolina?

O seu é a gasolina?

Fuel System Clean limpa e elimina a todo o tipo de resíduos do sistema de combustão de gasolina, desde o próprio depósito de combustível, onde se acumulam contaminantes procedentes do abastecimento, até às próprias válvulas de admissão e os injetores. Também previne a formação de vernizes e gomas ao longo do circuito, produto da degradação da própria gasolina e que dificultam o fluxo abundante da gasolina. Além disso, liberta os depósitos nos injetores que tornam a injeção menos eficiente. Além disso, homogeniza a água com a gasolina, já que a presença da água na gasolina produz funcionamento irregular na combustão e ataca os componentes de precisão, reduzindo a sua vida útil. Nas gasolinas modernas este efeito pode ser incrementado devido ao seu conteúdo de etanol, que é higroscópico e absorbe humidade, tornando cada vez mais necessário emulsionar essa água para evitar danos maiores. Este processo pode provocar dificuldades de arranque, perda de potência, um funcionamento brusco do motor e uma resposta inadequada do acelerador.

Pode ser utilizado nos veículos com motor a gasolina, usando todo o tipo de gasolinas comerciais, inclusive as que incorporam bioetanol (E7, E10, E25), tanto de 4T como de 2T.

Valve & Injector Clean, específico para os motores de gasolina, limpa e elimina todo o tipo de resíduos do sistema de gasolina desde o depósito do combustível, onde se acumulam os resíduos procedentes de um abastecimento sem filtragem, ou de combustível degradado, até à zona das válvulas de admissão e os injetores, passando por todo o circuito incluindo os aforadores, bombas, filtros e sensores. Este produto desintegra (ao contrário de outros aditivos que arrancam) a sujidade acumulada no sistema, dissolvendo e homogenizando-a com o combustível. Além disso, evita que os filtros se bloqueiem por resíduos de gasolina degradada devolvendo ao filtro a sua função principal que é a de reter partículas de maior tamanho.  E também, dissolve os resíduos sólidos nos injetores, que se formam com a alta temperatura da combustão nos bocais, libertando os orifícios do injetor e melhorando a expulsão do combustível, garantindo uma injeção eficiente.

O aditivo melhora o desempenho do motor e garante uma combustão eficaz e estável que permite a redução do consumo de combustível e otimiza as emissões dos gases de escape. Valve & Injector Clean prolonga consideravelmente a vida útil do motor e garante o seu funcionamento correto.

O seu é a Diesel?

O seu é a Diesel?

Diesel System Clean elimina toda a contaminação acumulada no sistema, dissolvendo-a no combustível. Integra os vernizes e gomas de gasóleo degradado no fluxo do combustível, perfeitamente dissolvidos, permitindo que passem através dos filtros junto com o gasóleo e se incinerem durante o processo de combustão. Este produto homogeniza as gotas de água que se acumulam no depósito de gasóleo, que são prejudiciais para os precisos sistemas de injeção eletrónica direta, para além de gerar uma camada de gel na conhecida “fase aquosa”, bloqueando os filtros de combustível, pela sua impossibilidade de se misturar com o gasóleo. Também dissolve os resíduos sólidos nos injetores, que se formam com a alta temperatura da combustão nos bocais, fazendo perder eficácia na formação do spray correto para uma injeção eficiente.

Por outro lado, a regulação e o controlo das emissões contaminantes nos veículos automóveis obrigou ao desenvolvimento de dispositivos específicos para o tratamento de cada um deles, como é o caso das partículas sólidas (PM).

O Filtro de Partículas Diesel (DPF) retém no seu interior o carvão que se forma a partir da combustão do gasóleo num sistema de combustão por injeção direta.

Assim que o compartimento do filtro fica cheio, as partículas deverão ser evacuadas quando o veículo está com o motor em funcionamento. Este é o processo conhecido como “de regeneração”. Mas se o veículo não reúne as condições de circulação previstas, a eliminação não se produz, ou produz-se de forma parcial, provocando um funcionamento defeituoso do motor por ter obturada uma grande parte do sistema de escape. Por este defeito de limpeza do DPF, surgem algumas anomalias de funcionamento: obturação do DPF, perda de potência do motor, aumento repentino do consumo de combustível, indicadores de avaria do motor, emissões contaminantes fora de parâmetros…

O Motul DPF Clean desbloqueia o DPF ajudando o sistema a queimar os resíduos de carvão que se acumularam no seu interior de forma a não produzir emissões nocivas nem obrigar o motor a trabalhar com temperaturas excessivas no processo de regeneração. Misturado com o combustível, acompanha-o até à câmara de combustão, sem participar no processo e continua depois da combustão até ao filtro. A molécula de Motul DPF Clean chega ao filtro produzindo no seu interior uma reação de oxidação catalisada a baixa temperatura que elimina o carvão que obtura o DPF. Estas reações realizam-se sem produzir nenhum aumento de emissões de CO2.