Choose a country or region to display content specific to your geographic position

Continue

MADALENA SIMÕES NOS VISITA NA SBK PORTIMÃO

12.09.2019

Entrevista com Madalena Simões

Entrevista com Madalena Simões

1. Quando e como começou a sua paixão por motos?

Desde muito nova que me lembro de seguir e ver na televisão o Campeonato do Mundo de Velocidade, um pouco mais tarde também o campeonato das Superbikes, mas desde de sempre me lembro de ver as corridas na televisão e quando ainda era possível ia ao Autódromo do Estoril ver o Motogp com a minha família.

2. Quando você começou no mundo da competição? Foi fácil acessar?

O meu primeiro ano de competição foi em 2018 onde corri na categoria Moto5, foi fácil lá chegar pois este troféu é uma iniciativa da federação portuguesa para promover a iniciação no motociclismo, tudo o que tive de fazer foi inscrever, comprar a moto e o material necessário.

3. Agora que está na equipe da Motor7, como chegou a fazer parte da equipe?

Já conhecia a Motor7 muito antes de aprender a andar de mota, o meu tio mantém uma grande amizade com o Sr. Miguel Osório, correram juntos e foram companheiros de equipa durante anos, participando em diversos troféus Yamaha. O meu tio como é muito atento ao meu percurso como piloto apresentou-se ao Sr. Osório e dai nasceu a minha parceria com a equipa Motor7.

4. Como é o trabalho e a convivência com a equipe Motor7?

Uma equipa empenhada e muito profissional, mas que ao mesmo tempo me transmite tranquilidade, o ambiente é o perfeito para evoluir neste desporto.

5. Corres no campeonato de Velocidade, é a modalidade de condução que mais gostas?

Sim. Também tenho algum interesse em Karting e Motocross, mas sem dúvida que a velocidade é a minha modalidade favorita.

6. Quanto tempo você gasta treinando?

Idealmente gosto de treinar de mota uma vez por fim de semana, também completo os meus treinos com trabalho de ginásio três vezes por semana.

MADALENA SIMÕES NOS VISITA NA SBK PORTIMÃO

7. Você tem algum tipo de ritual ou superstição quando está competindo?

Gosto de ouvir música minutos antes de entrar para a grelha de partida, sempre as mesmas três músicas que me ajudam a lidar com o nervosismo e a concentrar-me.

8. Quais são seus próximos objetivos a curto prazo?

Nas próximas corridas gostaria de alcançar o pódio no Campeonato Nacional, já estive perto, agora é trabalhar para conseguir. Para a próxima época quero ingressar também no Campeonato Espanhol.

9. Por que você acha que os sponsorings são importantes no mundo da competição?

Os sponsors fazem toda a diferença. Nós pilotos sentimo-nos agradecidos por acreditarem em nós e sem eles certamente não teríamos as mesmas condições e oportunidades. Sinto-me muito feliz pelos meus patrocinadores, obrigada a todos eles.

10. Quais melhorias você notou com os produtos Motul?

Tive a felicidade de ter começado a usar Motul neste que foi o meu primeiro ano de corridas num contexto mais sério, pelo que se torna difícil comparar com anos anteriores, mas considero que são produtos cinco estrelas sem dúvida. Comparando com o ano passado, onde aí sim, usava outro óleo, notei uma diferença na performance.

11. O que você acha do Campeonato WSBK? O que você mais gostou ou o que mais te surpreendeu na corrida do fim de semana de Portimão?

Gosto imenso, acho que é um campeonato muito competitivo. Na classe das SS300 o que mais gostei foi ver o pódio da Ana Carrasco, na categoria das WSBK fiquei feliz pelas duas vitórias do Rea e adorei ver a intensa última volta da terceira corrida que deu a vitória ao Bautista.

12. Você é um grande fã de Valentino Rossi, o que você mais valoriza nele? Você tem outr@s ídolos para olhar?

Gosto de dizer que sou a fã número um do Valentino Rossi, se não for devo estar muito perto. Admiro o seu carisma e personalidade, a vontade de vencer apesar de ser muito mais velho que os adversários, é espetacular vê-lo pilotar. Também admiro muito o Miguel Oliveira e a Ana Carrasco.

13. Finalmente, como você vê o futuro? Em que campeonato ou categoria você gostaria de chegar a competir?

Como este foi o meu ano de rookie na classe das 300, vou continuar este e o próximo ano a treinar e a correr com o objetivo de chegar ao Mundial das Superbikes, em 2021 gostava de ter um lugar permanente nesse campeonato.

As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies. Mais informações