Jean-Pierre Garcin - Minha história no Dakar

11.01.2018

    

Jean-Pierre Garcin - Minha história no Dakar

Jean-Pierre Garcin

 

Toyota Auto Body n°328 co-pilot

 

COMO VOCÊ SE TORNOU UM COPILOTO DE CROSS-COUNTRY?

"A vida é feita de oportunidades! Na década de 90, trabalhava para o meu pai (negociante da Toyota em Le Pecq - França) quando soube que meu médico estava participando do Dakar. Um dia começamos a falar e de repente ele me convidou para ser seu copiloto para a corrida offroad 24 Horas de Paris. Aceitei instantaneamente e entrei em algumas corridas de resistência com ele também. O próximo passo foi em 1997, quando participei no meu primeiro Dakar com Jean-Pierre Cottret ".

QUAIS SÃO AS QUALIDADES QUE UM BOM COPILOTO DEVE POSSUIR?

"Definitivamente a experiência. Se você olhar para o perfil dos melhores copilotos de rali do país no Dakar, a maioria deles tem mais de 45 anos de idade e já participou de 15 a 20 Dakar. No topo, você deve estar bem organizado, extremamente reativo e ter uma boa memória ".

E SOBRE O ROAD-BOOK, NOS FALE UM POUCO SOBRE ELE?

"O livro de estrada é minha Bíblia! Quanto maior é o menor trabalho de preparação que você tem que fazer, portanto, a maneira como foi feito é extremamente importante. Não esqueça que o descobrimos no dia anterior ao palco. O road book também é uma filosofia. Você precisa entender as mensagens que o organizador da corrida compartilha com você. Por exemplo, gostei muito do passado lendo e interpretando livros rodoviários feitos por René Metge. Eu conhecia perfeitamente seu estilo e filosofia e poderia facilmente entender a direção que ele queria que nós iremos ".

APÓS 20 ANOS VOCÊ CONTINUA AMANDO O SEU TRABALHO?

“Com certeza sim! Eu posso ganhar a vida com minha paixão. A parte do meu trabalho que eu definitivamente gosto mais é conhecer amigos e pessoas novas. Enquanto eu me divertir e tiver prazer em fazê-lo, continuarei fazendo esse trabalho

COMO VOCÊ SE JUNTOU À EQUIPE TOYOTA AUTO BODY?

 

"Eu conheci a fábrica da fábrica japonesa depois de ter colaborado com a ARACO de 2000 a 2003. Então fiz uma longa carreira com a equipe SMG de 2004 a 2015. Depois do Dakar 2015 Toyota Auto Body me telefonou explicando que estavam procurando por um copiloto. Depois de alguns dias após o acordo ter sido concluído, juntei-me a essa equipe de fábrica da categoria T2 como copiloto de Christian LAVIEILLE a partir de 2016 Dakar ".

QUAL É A SUA MELHOR LEMBRANÇA NO DAKAR?

"Em 2013, fui o co-piloto do campeão mundial de estilo livre francês: Guerlain CHICHERIT. Durante um estágio, fomos rápidos e chegamos ao mesmo tempo em um cânion com Stéphane PETERHANSEL e Jean-Paul COTTRET. Ambos procuramos a direção certa. Finalmente, Stéphane PETERHANSEL tomou a decisão de sair do cânion e seguir uma estrada. Eu recomendei o Guerlain a continuar por alguns quilômetros extras no canyon. É claramente um grande risco quando você conhece a experiência de um motorista como Stéphane PETERHANSEL. Mas, depois de alguns minutos, percebemos que estávamos no caminho certo e, graças a essa decisão, ganhamos o cenário nesse dia. Nada mal, né? "

 

QUAL É A SUA PIOR LEMBRANÇA NO DAKAR?

"Em 2012 Dakar, eu estava correndo com Carlos SOUSA. Um dia, ficamos assustados em uma duna por alguns minutos. Eu tive que sair do carro para remover areia. Mas quando voltei no carro me esqueci de dizer que Carlos precisava de mais tempo para apertar meu cinto de segurança. Ele reiniciou e tivemos um pequeno acidente alguns segundos depois. Por causa disso, fiquei ferido com um pequeno traumatismo craniano ".

 

As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies. Mais informações

© 2018 Motul

Alterar país